paisagem natural

DESDE MEADOS DA DÉCADA DE 1990, realizamos um trabalho de conservação ambiental, protegendo os mananciais e aumentando os fragmentos de mata atlântica existentes na Fazenda. Diversas nascentes brotam nos grotões da Serrinha. Esses olhos d’água compõem as cabeceiras da bacia do Piracicaba, que é fundamental para o abastecimento de água no estado de São Paulo.Primeiramente, retiramos o gado e cessamos a prática de queimadas. Em seguida adotamos a roça seletiva e, agindo como os dispersores naturais de sementes, passamos a enriquecer a biodiversidade, muito empobrecida em toda a região. O espaço das pioneiras fomos preenchendo com espécies produtivas, não necessariamente nativas, seguindo os princípios da agrofloresta: reflorestando e produzindo alimentos.

 

1995 - 2001

1995 – 2001

 

Embora sem uma mensuração científica – nossa ação foi sempre muito informal -, os resultados são claros, como nos mostram as saracuras, os jacus e os bugios que passaram a habitar o antigo pasto de braquiária e o velho eucaliptal. Agora, gradativamente, formalizamos e profissionalizamos o projeto, procurando não perder as espontaneidade e o espírito de semeadores.

Em 2001, o Ibama (atual ICMBio) reconheceu parte de nossa terra como Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN –, o que assegura em caráter perpétuo a preservação das áreas tombadas.

A fazenda integra o projeto Semeando Água, do Instituto Ipê (patrocínio Petrobras Ambiental), que prevê a implantação de áreas experimentais de restauração florestal e pastoreio voisin. Outras áreas degradadas estão sendo restauradas por meio de compensações ambientais (TACs e TCRAs). Também recebemos regularmente uma equipe de biólogos e estudantes da Fesb (Fundação Municipal de Ensino Superior de Bragança Paulista), que realizam em nossa área um levantamento da fauna.

 

:. Veja todas as informações oficiais referentes à RPPN da Fazenda Serrinha no site do ICMBio .: